Loading...

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Vôo de Adeus...





         Refletindo, sobre a oportunidade de se libertar de um Carma, de que o Arcano XII, "O Pendurado" nos avisa, às vezes, como nessa poesia que escrevi, basta deixar ir uma situação, sem mais apego, sabendo que o Tempo a curará, resolvida está a situação dentro de nosso peito, mesmo que no momento ainda haja dor, absorvendo a experiência sem rancor, como um aprendizado, como "O Eremita", Arcano IX o faz...


VÔO DE ADEUS... 

    Rosemary Amabile  
     
                                                                                    









 Me despedi de ti
 como quem gentil liberta uma ave,
 mirando no horizonte o traço do vôo
 como dádiva 
 que nunca mais se repetirá.

 O momento que tivemos,
 o que temos, nunca mais se repetirá.
 O amor que eu tenho é sempre meu.
 A capacidade para o amor 
 é minha dádiva.
 Não existe: - Eu tive um amor...
 O amor não se foi com você...
 O amor não se foi com ninguém.


 Continua dentro do peito o amor,
 Por ora com uma dor,
 ficou uma cava,
 como que uma parte de mim 
 de repente arrancada
 que ferida, com o tempo,
 ao longo do tempo se curará.


 Fiz a despedida 
 como um ritual interno.
 Já era tempo!
 Nada mais havia a fazer...
 Já havias ido embora de mim,
 e te foste sem se dar conta
 do que ficou para trás.


 Melhor assim...
 Um não sofre!
 O que ficou mede a curva do tempo
 naquele traçado no horizonte.
 O outro?
 Nem tempo precisará...